Festival de Paranapiacaba

no Google Earth, vemos  Paranapiacaba em uma das vertentes da Serra do Mar. Ao fundo, a Grande São Paulo.
No Google Earth, vemos Paranapiacaba em uma das vertentes da Serra do Mar.
Ao fundo, a Grande São Paulo.

Paranapiacaba vem do tupi – “Lugar em que se vê o mar” . A antiga vila ferroviária, construída no final do século 19 em estilo inglês está situada a quase 900 metros de altitude, na serra do mar.

Passei poucas horas lá, porém o suficiente para ver o céu claro converter-se em nuvens ameaçadoras, chover copiosamente durante 10 minutos, para depois clarear de novo. Voltando, uma neblina súbita invade a vila. Não se enxerga 2 metros adiante. Porém, quando menos se espera, a lua aparece e a noite se ilumina.

Fui lá para assistir ao show do Zeca Baleiro, uma das principais atrações do Festival de Inverno de Paranapiacaba. O evento atrai turistas paulistanos como açúcar junta formigas. O vilarejo, que atualmente vive do turismo, se adapta como pode à enxurrada de gente e curte a ocasião junto com os visitantes. O astral é excelente e o show foi muito divertido. Quando começou a chuva, Zeca atacou de “Nuvem Passageira” e arrancou aplausos da galera.

Fui lá para passear, mas não resisti a fazer algumas fotos panorâmicas. Para as fotos do show, coloquei a câmera em um monopé apoiado em minha cintura, e fiz os cliques com um controle remoto enquanto equilibrava e girava a câmera em todas as direções. Não consigo (ainda) obter panoramas equiretangulares (180×360  graus) com essa técnica improvisada, mas o resultado final, ao meu ver, foi bastante satisfatório. Foi curioso perceber que, ao levantar a câmera, algumas pessoas deixaram de assistir ao show para observar o que eu estava fazendo. Algumas até posaram para a foto! Meus agradecimentos aos anônimos que sorriram e mostraram o clima de simpatia reinante. 🙂