Museu do Antigomobilismo

 

A história do Tucker Sedan 1035 daria um bom romance. A história deste modelo , com apenas 51 exemplares produzidos, já foi objeto de filme de Francis Ford Coppola ,

Um deles, de chassi nº 1035,  foi importado para o Brasil no final da década de 40 e circulou pela alta sociedade carioca. Depois passou por diversas mãos (a história completa está aqui) e seu último dono foi o engenheiro Roberto Lee (1934-1975) . Filho de industriais e dono de uma coleção com cerca de cinquenta carros antigos, casou-se, em 1961, com Maria Pia Matarazzo, cujo sobrenome dispensa maiores apresentações. O casamento já causou rebuliço: em nome da moral e dos bons costumes, o pai da noiva proibiu a entrada de um tio do genro, porque o homem era desquitado. Em represália, os pais de Roberto não compareceram à cerimônia! A união durou apenas cinco anos. A separação causou ainda mais bochicho do que o casamento: Maria Pia seria a primeira Matarazzo a figurar no hall das desquitadas.

Lee morreu assassinado por uma amante, catorze anos depois. Seus carros antigos foram abandonados no Museu Paulista de Antiguidades Mecânicas, em Caçapava (localizado em um terreno da família Matarazzo) que ficou fechado por décadas, submetendo-se à ação do tempo e do vandalismo.

O lendário Tucker
O lendário Tucker, frequentando a high society e depois entregue às baratas.

Recentemente, a filha do colecionador fez um acordo com a prefeitura de Caçapava, como conta com detalhes o jornal eletrônico TaiadaWeb. Os carros foram transferidos do museu em ruínas, incluído o raro Tucker Torpedo de chassi número 1035, para um local seguro.